Primeira tareafa encerrada

Conheça as 10 escolas
vencedoras da

3ª GINCANA CULTURAL EDP

XÔ DESPERDÍCIO

Cruzeiro

Quando a cidade entrou em decadência a única saída era fazer a ferrovia desviar seu curso.

Manoel Freitas Novaes foi um “refundador” de Cruzeiro. Grande plantador de café, poderoso, conseguiu através de seu prestígio desviar o traçado da Estrada de Ferro D. Pedro II para dentro de sua propriedade, a fazenda Boa Vista. Assim, nascia a Estação Cruzeiro, a cerca de dez quilômetros da sede do município, e ao seu redor surgiu um bairro que só fazia crescer. O grande empurrão para o crescimento desse agrupamento foi a decisão de fazer nascer ali, na Estação Cruzeiro, a nova via férrea que ligaria São Paulo à Minas Gerais. Em pouco tempo, a verdadeira sede do município, sem ligação com a via férrea, entrou em grande decadência e o governo decidiu mudá-la para o povoado da Estação. Cruzeiro renascia.

Havia uma cruz usada como marco divisório no alto da serra, entre São Paulo e Minas Gerais, daí o nome “Cruzeiro”.

População total: 77.039

Área em  km 2: 305,699

Densidade demográfica: 252 hab/km2

Cruzeiro não tem tradição agrícola. Já nasceu como sociedade urbana, dependente da estrada de ferro. Por isso sua economia é mais marcada pela presença da indústria e do comércio, do que a maioria das cidades de seu porte do Vale do Paraíba

História

 

Até hoje, a melhor passagem do Vale do Paraíba para Minas Gerais é a Garganta do Embaú. Nesse ponto há como uma grande falha na Serra da Mantiqueira, visível à distância. Foi exatamente pelo Embaú,( “bica d’água” em tupi), que os desbravadores paulistas do século XVII enveredaram pelo interior do Brasil e descobriram o ouro das Minas Gerais.

Foi nessa região, passagem obrigatória das rotas comerciais com destino aos Portos de Parati e Mambucaba, que surgiram roças e alguma criação de animais destinados ao abastecimento dos tropeiros. Em 1787, o sargento-mor Antonio Lopes de Lavra concluiu a construção de uma capela consagrada à Nossa Senhora da Conceição, que logo virou o centro de um povoado. Já em 1846 foi criada a freguesia, e em 1871 já era o município de Conceição do Cruzeiro (veja Origem do Nome) Nessa época o ouro já não gerava riqueza. Estava em declínio e arrastava com ele o destino da cidade. Felizmente a cidade não tinha apostado todas as suas fichas no comércio de ouro e provisões. Entra em cena Major Manoel de Freitas Novaes, o único grande fazendeiro da região, que com seu prestígio consegue fazer renascer a cidade em suas terras. (Veja Curiosidades)

Durante a Revolução Constitucionalista de 1932, Cruzeiro foi cenário de intensos combates entre os revoltosos e as tropas federais, sendo o último município constitucionalista a se render. (Veja Curiosidades)

 

 

Turismo

 

Centro Cultural Rotunda

 

Instalado numa estrutura semicircular, de concreto armado, onde se fazia a manutenção e manobra dos trens da linha Cruzeiro/Minas. A obra foi construída em 1930, com 6.000 m2 de área, desativada em 1980 e totalmente abandonada até os anos 90, quando foi desapropriada pela prefeitura e transformada em centro cultural.  Conta com biblioteca e exposição permanente de fotos e réplicas de locomotivas.

 

Endereço: Av. Rogério Mariano s/n - Vila Paulista

Telefone: (12)3144-9374

Funcionamento: Segunda à Sexta, das 7h às 19h. Sábado e Domingo, visitas agendadas previamente.

 

Museu Histórico e Pedagógico “Major Novaes”

 

Localizado na antiga sede da Fazenda Boa Vista (veja Curiosidades) conta com os móveis e objetos da família Novaes. O Museu conta também com a exposição de documentos raros e importantes, não só para Cruzeiro, como também para as outras cidades do Vale do Paraíba.

Endereço: Ruas Engenheiro Antônio Penido, Voluntários Paulistas e Jorge Tibiriçá

Comentários

Estamos aguardando seus comentários. Participe! É super fácil.

BENEDITA APRAECIDA CARDEAL DE SOUZA (23/07/2013)

Boa tarde, estamos satisfeitos com o resultado que aos poucos vemos nas atitudes dos alunos em relação a economia da energia elétrica. Os alunos compreenderam que todos podemos cooperar para a preservação do mesmo através de nossas atitudes dentro e fora de nossas casas. Parabéns por esse projeto que é um passo importante nessa nova geração que se forma. Abraços Professora Benedita A. C. Souza

barbara (14/08/2013)

eu gostei de vcs

yasmni de cassia vicente vieira (21/08/2013)

Eu gostei munto de saber que a energia vem da agua gostei de te aprendido mais sobre a energia e da onde a energia vem agora aprendi que se não estiver assistindo televisão deligar pq se dechar ligado pode gastar muito mais de energia e gostei muito sabe que tem energia que precisa do sol,do vento, e muito mais gostei muito de saber sobre a enegia.

fulvio augusto santiago paulino (22/08/2013)

gostei muito do projeto boas energia nas escolas muito legal

fulvio augusto santiago paulino (22/08/2013)

gostei muito desse projeto boa enegia nas escolas muito legal

eraldonovaes (20/07/2014)

parabéns!!

Elias Adriano dos Santos (13/11/2014)

Estou fazendo um curso de especialização Patrimonio Educação e Cidadania,os documentos encontrados mostram uma outra versão sobre a fundação do municipio de Cruzeiro,que não foi o Major Novaes,e sim Joaquim Jose Ferreira,a data da fundação de Freguesia em 1846,vila em 631876.

Equipe Boa Energia nas Escolas (18/11/2014)

Antes de tudo muito obrigado por sua atenção! Quanto à questão de quem fundou a cidade de Cruzeiro, você tem razão, o fundador da freguesia é o Joaquim José Ferreira. Por isso o Major Novaes é apresentado como um ''refundador'' de Cruzeiro já que a freguesia original, de 1846, tinha entrado em decadência e praticamente não existia mais. Como a seção é de ''Curiosidades'' achamos que a história do Major Novaes e sua interferência no traçado da ferrovia seria mais interessante para o público. Abração da Equipe Boa Energia nas Escolas!

Deixe seu comentário:

Nome:
Idade:
E-mail:
Escola:
Mensagem: