Guararema

Ele está em Guararema. O único município brasileiro a dar um altar para um dos santos mais populares no Brasil

É da cultura popular: se perdeu alguma coisa, conecte com São Longuinho e prometa dar três pulinhos assim que encontrá-la. Não falha.

 

O que nem sempre dá resultado é saber quem é São Longuinho. A história mais aceita é que ele seria aquele soldado romano que decidiu interromper o sofrimento de Jesus, perfurando-lhe o coração com uma lança. Um espirro de sangue teria atingido seus olhos e, de certa maneira, curado sua “cegueira espiritual”. Convertido, Cassio (alguns asseguram que esse era o nome verdadeiro), teria se tornado monge, e, finalmente, decapitado por sua nova crença.

 

Difícil aceitar esse final da história, pois os monges, como nós os conhecemos, só surgiriam séculos depois, mas isso não importa.

 

O que interessa é que Guararema é a única cidade do Brasil a ter um altar dedicado a São Longuinho, o padroeiro dos achados e perdidos. Sua estátua, em madeira, veste roupas de pano, confeccionadas por costureiras da região e utilizadas de acordo com as festividades do ano religioso.

 

São Longuinho ganhou esse nome carinhoso aqui no Brasil já que, mundo afora, é conhecido como São Longino, nome que provavelmente deriva da palavra grega para lança: lonckhe.

 

Na verdade, nós brasileiros, podemos ter reinventado totalmente o santinho. Aqui ele ganhou uma lanterna (para achar os perdidos), um cajado (no lugar da assustadora lança) e trocou a armadura de soldado romano por um hábito franciscano.

 

Gurarema é o nome que os índios davam para uma árvore bem comum na mata.Para os cientistas ela tem um outro nome, mais pomposo: Gallesia gorazema. Saiba mais sobre essa famosa planta em Curiosidades

População total: 25.844

Área: 271 km2

Densidade demográfica: 95 habitantes por km2

Guararema tem uma atividade econômica diversificada e equilibrada. O cultivo de flores, como as orquídeas e frutos, como caqui e a tangerina, é acompanhado por um quadro industrial crescente, graças à posição estratégica do município na malha viária do Vale do Parnaíba.

História

Foi em 1611 que Gaspar Vaz, fundador de Mogi das Cruzes, expandiu suas atividades criando um aldeamento às margens do Rio Paraíba do Sul. Em 1652, jesuítas, com a força dos índios Guaranis, construíram a Capela de Nossa Senhora da Escada.

 

Já durante a crise entre a Companhia de Jesus e o governo português, os jesuítas deixam a pequena capela para os franciscanos que constroem uma nova igreja com um convento anexo. Os anos passam e a localidade torna-se um ponto de descanso e referência para os viajantes que seguem para São Paulo ou para o Rio de Janeiro.

 

Só em 1875, Laurinda de Souza Leite, doa para sua ex-escrava Maria Florência, um tanto de terra,  cheio de guararemas, distante cerca de 3,5 km do Arraial da Escada. Maria Florência, grata pelas graças alcançadas constrói uma igreja para seu santo de devoção: São Benedito.

 

Pelo jeito os céus gostavam muito  da ex-escrava pois já no ano seguinte a estrada de ferro que liga São Paulo ao Rio de Janeiro colocou uma de suas estações bem ali, na região conhecida por Guararema, pertinho da Igreja recém inaugurada.

 

Em pouco tempo a região cresceu, ganhou importância e envolveu física e juridicamente o antigo Arraial da Escada até tornar-se cidade reconhecida por lei em 3 de junho de 1898

 

Turismo

Em Guararema o Rio Paraíba não é poluído, o que por si só já justifica um passeio. Por isso mesmo a prefeitura investe forte no reequipamento de parques como o Recanto do Américo Pau d’alho e Ilha Grande. São grandes áreas onde é possível a prática de vários esportes cercado por uma amostra da fauna e da flora da Mata Atlântica.

 

Não se deve deixar de visitar a Igreja de Nossa Senhora da Escada, mas, antes, confira. Ela só abre uma vez ao mês.

Comentários

Estamos aguardando seus comentários. Participe! É super fácil.

rodrigo (15/04/2013)

Muito interessante as informações mas é preciso que vocês corrijam um detalhe na parte de turismo pois é rio PARAÍBA e não PARNAÍBA.

Boa Energia nas Escolas (17/04/2013)

Obrigado, Rodrigo, pela atenção ao nosso texto. O Rio Parnaíba é lá no Nordeste, entre Maranhão e Piauí. O nosso Paraíba, Paraíba do Sul para ser mais exato, é essa lindeza que dá prá se ver do Recanto do Américo. Cheio de peixe e limpo. Mas, tem gente querendo acabar com ele! Não estão tratando o esgoto direito e já se tem notícias de que o Paraíba está saindo de Guararema um tantinho mais sujo do que entrou. Isso é uma pena. É bom ficar atento e pressionar as autoridades para que isso não aconteça. Um grande abraço!

Deixe seu comentário:

Nome:
Idade:
E-mail:
Escola:
Mensagem:
EDP Bandeirante participa do Aniversário de Pindamonhangaba LEIA MAIS
Unidade Móvel da EDP participa da SIPATMA 2013 na Panasonic LEIA MAIS
Unidade Móvel de Ensino chega à Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante participa de evento em São José dos Campos LEIA MAIS
EDP Bandeirante conclui Cursos de Capacitação em Guarulhos LEIA MAIS
Projeto “Boa Energia nas Escolas” em Caçapava e Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante conclui Reuniões de Sensibilização em Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante realiza Cursos de Capacitação em Tremembé LEIA MAIS
Taubaté recebe o Projeto “Boa Energia nas Escolas” LEIA MAIS
Unidade Móvel de Ensino chega à Cachoeira Paulista LEIA MAIS