As 10 escolas
vencedoras receberão
um SISTEMA
COMPLETO DE
GERAÇÃO
FOTOVOLTAICA
2,5 kwp1

GRANDE GINCANA CULTURAL

XÔ DESPERDÍCIO!

CLIQUE AQUI E SAIBA TUDO PARA SOBRE A TAREFA 1 - MAPA DA MINA!

Caro Professor Líder,

Aqui vai a Tarefa nº 1 para seus alunos:

MAPA DA MINA

(mapeamento energético)

Objetivo da tarefa

  • Mostrar que os aparelhos elétricos apresentam consumos diferentes e que isso está diretamente ligado à POTÊNCIA DE CONSUMO deles.
  • Ensinar que a quantidade de energia consumida está diretamente ligada ao
    TEMPO DE USO dos aparelhos.
  • Aprender a estimar qual será o consumo de um conjunto de aparelhos
  • Aprender a fazer escolhas entre a POTÊNCIA DE CONSUMO e o TEMPO DE USO e com isso otimizar o consumo de energia.
  • DICAS 1

    • Todo aparelho elétrico deve, por lei, informar a sua POTÊNCIA DE CONSUMO indicada em Watts (W).
    • Essa informação geralmente se encontra em uma etiqueta ou impressa em alguma parte do aparelho.
    • Kilowatt (kW) o mesmo que dizer 1000 W.
    • Kilowatt hora é a unidade de energia usada para se medir o consumo.
    • Não confunda Watt com Volt.
    etiqueta

    Exemplo de etiqueta encontrada em aparelho elétrico com destaque para a Potência de Consumo.

  • DICAS 2

    Faça uma tabela com cada tipo de
    equipamento elétrico: lâmpadas,
    chuveiro, etc.
    Marque na
    primeira coluna a
    quantidade de
    cada um dos
    equipamentos
    Na segunda
    coluna coloque a
    POTÊNCIA em
    Watts (W) do
    equipamento
    Anote também
    o tempo, em
    horas, que o
    aparelho é
    usado por dia

    1000

    Multiplique os números acima e divida o resultado por 1000 assim você
    terá quantos kWh são consumidos por dia

    x 30

    Agora é só multiplicar por 30 (dias) e você terá a estimativa de consumo
    mensal do local que escolheu para fazer o mapeamento
  • Como fazer para mandar os vídeos para o Youtube

    Como os vídeos geralmente são arquivos grandes, o melhor é você utilizar um
    serviço de remessa especializada nesse tipo de arquivo. Não se assuste é super
    simples! Clique aqui https://wetransfer.com e você será enviado para o site
    Wetransfer que tem esse jeitão aí embaixo.

    we transfer tutorial

    A foto de fundo muda muito, assim, se não for essa imagem que aparecer não se
    preocupe, clique onde está indicado. Ah! pode ser que a página do site apareça
    em inglês e você pode não ter familiaridade com esse idioma se esse é o seu caso
    clique no lugar indicado e mude para “Português”

    we transfer tutorial

    Em seguida o Wetransfer perguntará se você concorda com o uso de “cookies”
    clique em “CONCORDO” sem susto. Pronto agora está fácil!

    we transfer tutorial

    1. 1 - Clique aqui para escolher o arquivo que você quer mandar para o Youtube
    2. 2 - Escreva aqui o nosso email: gincana@boaenergia.com.br
    3. 3 - Escreva o seu email para receber um comprovante de envio.

    we transfer tutorial

    Pronto! Agora é só aguardar a transferência! Quando chegar a 100% (a velocidade
    varia com o tipo de conexão que você tem) relaxe que o seu filme já está conosco!
    Em pouquíssimo tempo ele estará disponível na página da Gincana Xô Desperdício!
    no Youtube! Aí é só sair caçando os “likes”! Boa Sorte!

A TAREFA Nº 1: MAPA DA MINA

  1. Documentação através de um vídeo da obtenção dos dados necessários à elaboração de um Mapeamento Energético de uma casa a ser escolhida pela turma. Podem ser utilizadas entrevistas, jogos, músicas, animações, e todas formas de expressão serão válidas desde que a mídia final seja um vídeo a ser publicado na página BOA ENERGIA GINCANA no Youtube
  2. O prazo final para entrega dos vídeos é até 07/07/2017
download regulamento
 Para baixar o regulamento PDF clique aqui

Potim

Muitos a consideram uma praga,
mas em Potim ela é fonte de orgulho e lucro.

Quem já viu lagoa, laguinho ou lagão, já viu taboa. Para os mais distraídos, basta dar uma olhada na imagem. Lembrou? O nome científico é Typha angustifolia, mas fora dos laboratórios tem um montão de apelidos: paineira-do-brejo, espadana, capim-de-esteira, tabepuia e por aí vai.

Ela é daqui mesmo, da América do Sul, mas como é muito resistente e de reprodução fácil, conquistou o mundo.

Em alguns lugares chega a ser considerada praga, apesar das pesquisas indicarem que quando cultivada com os cuidados necessários, em água limpa, sem esgotos ou poluição química, ela pode até ser comestível. Os brotos produzem uma espécie de palmito, o pólem. Dizem que é muito gostoso, e o rizoma (raíz) quando cozido tem tanta proteína quanto o milho e os carboidratos da batata. Enfim, dia desses poderemos encontrá-la em alguma geladeira de supermercado, mas enquanto esse dia não chega, a taboa vai sendo utilizada mesmo é no artesanato. Da paina, que é aquele “algodão” que dá na inflorescência, faz-se travesseiros e almofadas. Das folhas, chapéus, cestos, bolsas e uma infindade de objetos de uso e decoração.

Aí é que entra Potim. O artesanato em taboa, de Potim, foi considerado o melhor do Brasil,e em 2010 foi exposto numa importantíssima feira de design em Milão, na Itália.


Exemplos do artesanato campeão de Potim. Conheça melhor o trabalho do pessoal visitando: http://potimartesanato.webnode.com.br

 

Potim , na língua geral falada pelos índios, estaria relacionada a camarão. Alguns estudiosos acreditam que os ribeirões da região eram muito ricos em camarões de água doce, que muitos chamam de pitu.

População total: 19.397

Área: 44 km2

Densidade demográfica: 440 habitantes por km2

A atividade econômica de Potim é, essencialmente, rural.

História

Muita cidade brasileira nasceu assim: uma igreja é erguida para abrigar o santo de devoção de uma família poderosa e torna-se o centro de uma pequena comunidade que aos poucos cresce e se organiza. Em Potim não foi diferente: a imagem do Senhor Bom Jesus veio de Portugal para o altar da capela que o casal Miguel Corrêa dos Ouros e Dona Izabel Pereira dos Ouros mandou construir especialmente para guardar a imagem.  A igrejinha ficou pronta e benzida em 6 de agosto de 1772 e, na época, ainda fazia parte da paróquia de Guaratinguetá — bem perto de onde os pescadores acharam, cinquenta e cinco anos antes, a imagem de Nossa Senhora Aparecida (1717).

Entre Potim e Guaratinguetá estava o Rio Paraíba, mas isso não era de todo ruim. Os terrenos eram mais baratos pois eram do outro lado do rio e para chegar lá era preciso usar uma balsa ou barco. Assim, muita gente podia morar relativamente perto dos grandes centros da região, gastando bem menos. E assim foi até a década de 1960, quando a construção da ponte sobre o Rio Paraíba permitiu a expansão urbana. Em 30 de dezembro de 1991 o governador Luiz Antônio Fleury Filho sancionou a lei que oficializou a emancipação do distrito de Potim do município de Guaratinguetá.

 

Turimo

Em agosto acontece a Festa do Bom Senhor Jesus, com novenas, procissão e quermesse.

Comentários

Estamos aguardando seus comentários. Participe! É super fácil.

Rosilaine Monteiro (28/06/2014)

Olá fiquei muito feliz em ver a história da minha cidade no novo site da Edp. Parabéns, ficou muito linda e lúdica.

maisa aparecida carneiro de paula (07/01/2016)

boa noite,estava pesquisando sobre apoio para o artesão e achei est sitio da edp bandeirante,gostaria de realizar um sonho na minha cidade,tornar conhecida para seus próprios municipes,pra valorizar o artesanato local sou artesã da taboa e virar fonte de renda local

Deixe seu comentário:

Nome:
Idade:
E-mail:
Escola:
Mensagem:
EDP Bandeirante participa do Aniversário de Pindamonhangaba LEIA MAIS
Unidade Móvel da EDP participa da SIPATMA 2013 na Panasonic LEIA MAIS
Unidade Móvel de Ensino chega à Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante participa de evento em São José dos Campos LEIA MAIS
EDP Bandeirante conclui Cursos de Capacitação em Guarulhos LEIA MAIS
Projeto “Boa Energia nas Escolas” em Caçapava e Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante conclui Reuniões de Sensibilização em Pindamonhangaba LEIA MAIS
EDP Bandeirante realiza Cursos de Capacitação em Tremembé LEIA MAIS
Taubaté recebe o Projeto “Boa Energia nas Escolas” LEIA MAIS
Unidade Móvel de Ensino chega à Cachoeira Paulista LEIA MAIS